quinta-feira, 22 de abril de 2010

Noturno

Da série Breves Contos
.
.
Era tarde. Quando ele chegou anunciando uma aurora boreal, com um sol aceso nas mãos, eu já havia anoitecido. Sendo um ser de hábitos diurnos, adormeceu sem ver o olhar estrelado que eu trazia para constelar sua noite.
.
.

4 comentários:

Jac. disse...

Ave, palavras lindas!!!
Mas é quase sempre assim, Lulih.
Sinto pena desse desencontro...
Desse sol que não tocou seu olhar estrelado...

Já lhe falei que aqui venho
buscar inspiração?

Um beijo.

Renan disse...

caramba... escreve bem mesmo...

Alexandre Alves Neto disse...

Lulih, esses curtos, de poucas palavras que dizem infintas coisas, são os que gosto mais. Ler você é um modo inspirador de começar a semana.

Lulih Rojanski disse...

Inspirador é encontrar palavras de Jac, Renan (obrigada por vir pela primeira vez) e Alex...
Beijos a todos.