sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Divaganças


Uma revoada de folhas secas pode ser tão bonita quanto uma revoada de andorinhas.

Folhas secas, quando caem, se parecem com borboletas que voassem em espiral.

Borboletas têm vida mais curta que folhas. Folhas secas podem durar 10 anos.

Uma andorinha sozinha pode fazer qualquer estação.

As estações servem para mostrar que todas as coisas da natureza têm alma.

A alma do vento me possui no verão. No inverno entrego a minha à chuva.

A chuva tem poder curativo. Na manhã me cura a preguiça. Na tarde, meu calor. Na madrugada, a solidão.

Poucos seres no mundo são tão generosos quanto uma árvore.

Quem tem coragem para derrubar uma árvore tem também covardia para plantar concreto no lugar.

Olhar as coisas sem vê-las é como matá-las um pouco. Às vezes muito.

12 comentários:

Jac. disse...

Lulih, gosto dessas divaganças.
Eu vivo um pouco assim...olhando o mundo e cismando...
Estou sempre me perdendo em reticências...

Gosto muito das suas palavras, dos
seus textos curtos e tão cheios de significados para mim!

Meu carinhoso abraço!

Kiara Guedes disse...

Se não podemos ser vento, que sejamos pensamento!
Bjs

aline disse...

Eu tô com saudade... :(

Impressoes de Fevereiro disse...

Uma andorinha só. Verão.

Lulih Rojanski disse...

Jac,
Suas palavras sempre me fazem bem. Obrigada.

Kiara,
Sim, pensamento livre como o vento.
Um beijo.

Aline,
Calma, eu já tô indo...

Caio,
O que será que as andorinhas procuram no seu vai e vem?

Ernâni Motta disse...

Lulih, as "folhas secas" estão muito mais presente, em nossas vidas, do que imaginamos. Elas estão na alma do poeta, no pé do jogador de futebol, na chá nosso de cada dia, enfim, num montão de coisas. Essas suas divaganças fizeram-me divagar, tá vendo?... rsrs.
Querida, me mande o seu e-mail que tenho uma coisa para lhe enviar. Segue o meu ernanimotta@yahoo.com.br,

Beijos.

julio miragaia disse...

maravilhoso luli.

julio miragaia disse...

ando meio sem tempo p comentar. mas faço quiestão de dizer que adoro esse blog.

Alexandre Alves Neto disse...

Mesmo não tendo tempo de visitar todos os dias, quero dizer que também adoro esse blog, a simplicidade das suas coisas me faz pensar como a vida pode ser mais leve.
Um beijão, Lulih.

Alexandre Alves Neto disse...

Acorda Maria Bonita.

Maria disse...

Super sintonia com Arnaldo Antunes. Genial!!! Adoreiadorei

Fábio Luis Neves disse...

Me atingiu como:
uma revoada de folhas secas seguidas de borboletas e de uma solitária andorinha sobrevoando estações do inferno em busca de um inverno mais tranquilo, pra além da alma, da chuva, que me faz desenraizar de ser árvore e aprender a caminhar como ser que não destrói para aprender contemplar sem matar.

Seu texto inspira!