quarta-feira, 27 de agosto de 2008

A hora do riso

Fazia tempo que eu não via televisão. Ver, via, o aparelho desligado, empoeirado, relegado ao silêncio cósmico dos objetos abandonados... Fazia tempo que eu não assistia à televisão, mas o horário reservado à propaganda eleitoral me instigou a ligar o aparelho e me deitar na cama munida de um saquinho de jujuba. Não, não foi necessário que os corajosos candidatos começassem a aparecer para a minha diversão dar partida. Vi pela primeira vez outra campanha que está no ar, a da Justiça Eleitoral, e não tive a menor dúvida quanto ao seu objetivo. Esclarecer? Conscientizar? Nada! Eles querem fazer graça. Desde os dias em que eu tinha dores no esôfago porque engolia ar de tanto rir na frente dos episódios de Friends que eu não ria tanto. Da abelha no ouvido, do choro ao toque do celular, mas de uma das peças em particular: a do homem que passa quatro anos sapateando toda vez que fica nervoso. Quase engasguei com uma jujuba de uva. A Justiça Eleitoral me conquistou, e eu sei que isso era tudo o que ela queria. Juro que dessa vez vou votar direito. Embora na esquerda...

4 comentários:

Z. disse...

vote Z. para presidente ! Abraço.

Maria disse...

A do sapateado também é a minha preferida!

julio miragaia disse...

adorei a autobiografia. de certa forma lembrou alguma coisa do caio fernando abreu. talvez o jogo com o horoscopo chines. enfim. tb voto direito na esqerda de belem. o do cafe e rock'roll é divertido. o tempo não tem deixado eu postar nada ultimamente no meu. hoje consegui por algo depois de tanto tempo. mudando o assunto, cada vez q leio um conto teu fico cada vez mais fã dessa literatura leve e fantástica. espero um dia chegar perto de escrever algo assim. bjos.

Fábio Luis Neves disse...

Eu sempre procurei votar direito, mesmo sendo canhoto. Mas a hora do riso tem me deixado anárquico demais, isso é ruim ou acordar.
"Esquerda, direita, direitos e deveres, os três patetas, os três poderes, ascenção e queda são dois lados da mesma moeda" (H. Gessinger).
Isso resumiria tudo, mas esquerda é diferente de oposição, isso sempre é necessários ressaltar; as alianças governam mais do que o ideal inicial; se aliou ganhou, mas deve, não faz; se não se aliou perdeu, continua utópico/lunático; e pra ser sincero essa utopia é estar do lado do bonzinho, achar que está fazendo algo, mas não, ficar esperando, esperando, e se iludindo, achando ter a consciência limpa. Pra mim que tinha essa consciência: a hora do riso tem perdido a graça!