terça-feira, 11 de março de 2008

Hay que endurecer-se...

Série Ensaios Sobre a Ternura

O problema foi que ele entrou na minha vida com uma camisa do Snoopy e a barba do Che Guevara. Foi golpe baixo, porque o Snoopy era meu ídolo, o Che o meu tesão. Esperei que esgotasse em verbos suas más impressões sobre os meus princípios burgueses e perguntei a ele se me amaria se fosse ao contrário. Disse que não. Que seria muito esquisito se eu tivesse tesão pelo Snoopy. Foi-se, embrulhado em bandeiras, irredutível na camisa. Aí fui eu que endureci. Ternura nunca mais.


Ilustração: obra de Joan Miró

3 comentários:

julio miragaia disse...

gosto de textos curtos. acho q de certa forma eles refletem o ritmo dessa sociedade: objetiva, seca, mas que ao mesmo atempo anseia por um pouco de poesia, mesmo que seja assim, concisa, mas essencialmente poesia. ave palavra, prosa, prazer, pernicidades...

Fábio Luis Neves disse...

Endurecemos de diversas maneiras, mas acredito que para aqueles que não possuem tal característica isso passa, logo passa...

Panamericana (Lobão)

Quem são os ditadores do Partido Colorado
Que é democracia ao sul do Equador
Quem são os militares ao sul da Cordilheira
Quem são os salvadores do povo de El Salvador, em Parador
Quem são os assassinos dos índios brasileiros
Quem são os estrangeiros que financiam terror, em Parador
Hay qui endurecer sin perder la ternura
Hay qui endurecer sin perder la ternura
Hay qui endurecer sin perder la ternura
Ao sol de Parador!
Quem são os índios incas que plantam cocaína
Quem são os traficantes com armas e gasolina
Quem são los Montoneros, quem são los tupamaros
Las madres e abuelitas na Praça de Maio, em Parador.
Quem são os contra-revolucionários de Sandino
Que é a presidência no Canal do Panamá, em Parador.
Hay qui endurecer...
Quem são os guerrilheiros de Farabundo Marti
Quem são os fuzileiros do M-19
Quem são os luminosos que acendem o Sendero
Quem são os pára-militares do anti-plano em Parador.
Quem são os vuduzados que querem tonton macutes
Quem são os encarnados que inspiram as falanges, em Parador.
Hay qui endurecer... .

Márcia Corrêa disse...

A ternura é ocio da vontade.
Hay que endurecer sempre... o tesão, não a verdade.