sábado, 9 de maio de 2009

Presente

Continho para minha mãe

Nas noites mais escuras, sem lampiões nas esquinas castigadas de poeira, extintos já os vaga-lumes na paisagem calcinada pelo sol da eras, sentávamo-nos à beira da rua, nossa mãe apagava a única lamparina da casa e pedia que fechássemos os olhos para ouvir as histórias que ludibriavam nossas dores antigas, nossa fome hereditária e o sono milenar de deus que nos eternizara no esquecimento, até que chegava o momento mágico em que ela nos dava o sinal para abrir os olhos, e então emergíamos da escuridão e dos abismos de toda a vida, para receber, por suas mãos iluminadas, o fabuloso presente do acender da lua.

8 comentários:

meus instantes e momentos disse...

lindo post, num ótimo blog. Parabens por tudo aqui.
Maurizio

renato_oliveira disse...

Olá, Lulih!

Que lindo presente nos ofereceu com este post! À Mãe que gerou esta filha, muitos parabéns, por tudo!

Beijinho e B.F.S.

Renato

Maria Rojanski disse...

Que bonito!
O texto me fez lembrar que o Wilson Bueno também dedicou Cachorros do Céu à mãe, dizendo assim, no fim do livro: À minha mãe, Cida, essas histórias de bichos urdidas nas noites de nossa vila pequena.
Feliz dias das mãe à nona, e a ti - que és, ou melhor, são - mães e serezinhos muito queridos, que eu amo de paixão!

Lulih Rojanski disse...

Maurizio,
Obrigada. Vou passar por seus Instantes e Momentos...

Renato,
Obrigada. A D. Diva merece.

Maria,
Filica, obrigada também... vai no blog Moça, lincado aí ao lado, e vê a homenagem que recebi.

Márcia Corrêa disse...

Ave... que lindo, Luli. Bjs!

neo-orkuteiro disse...

Tocante, tocante, nada menos que isso. Quase fui às lágrimas, sério. Isto é saber dizer coisas! Tá provado: você sabe. Você enternece. E sua mãe sem sombra de dúvida merece. Parabéns, Lulih.

Lulih Rojanski disse...

Márcia,
Merci. Bj.

Neo,
Que bom ver o seu Bonde Andando por estas paragens. Obrigada.

Jac. disse...

Não lembro se havia lido...
Mas está me parecendo a primeira vez!
Encantada fiquei com a descoberta!
Pois foram essas noites mais escuras,
sob o mágico acender da lua, que
forjaram sua alma, cara amiga!!