terça-feira, 10 de julho de 2007

Rehael


"Começou a aparecer nos nossos sonhos, sem que pudéssemos evitar, e disse-nos se chamar Rehael. Aparecia em forma de andarilho, de artista, de velho sábio, e quase sempre acordávamos tristes da viagem, sem poder saber se um dia o veríamos real. Enquanto era andarilho, levava-nos para os mais recônditos povoados dos sonhos, e nos dizia maravilhas de se ter uma estrada sem fim como companhia. Como artista, era único. O melhor palhaço, ou o melhor Lisandro. E dos mais insólitos tablados que podiam se sustentar tanto em copas de árvores quanto em águas correntes, arrancava-nos aplausos que beiravam as lágrimas. Em todos os sonhos, de todas as madrugadas, em qualquer forma tinha o dom da potência. No sonho em que nos apareceu como menino, abraçamo-nos ao seu corpo, e com o mais desamparado dos olhares lhe perguntamos por que nos deixava à sorte dos que têm saudades. Desvencilhou-se enigmático, e no sonho seguinte apareceu-nos na forma que nos disse ser a original, do anjo Rehael, da segunda hierarquia dos anjos. Depois de recitar um salmo inédito, prometeu-nos que nunca mais precisaríamos ter saudades. E nos aprisionou no sonho para sempre."

4 comentários:

Patricia Andrade disse...

Vim porque me pediste e não me arrependi. Escreves tão lindo que sempre me comovo. Um beijo. Vamos matar a saudade e comer uns caranguejos neste fim de semana...

Caio disse...

Congratulations on your blog; we really expected to hear from you since "Pegasus", that was published on Maria´s blog in 2005.
All the writings are very very nice. Best Regards !

Alexandre disse...

Oi, obrigado pelo convite. Ave, Palavra é ótima literatura. A foto também... Parabéns. Abraço

Walter Jr disse...

Adorei o teu blog. Venho me emocionar aqui sempre que puder. A beleza está com vc e nas pavras que produz... Bjs